sábado, 21 de maio de 2011

Lembranças

Na calma desta manhã
Sussurram-me doces ventos
Como vozes de anjos cantando
Nas alegrias de um advento

Sinto o cheiro perfumado
De camas feitas de lavado
Nas delícias dum repasto
De manjares inventados

A claridade dos dias
Isenta de nuvens vazias
Nas sombras de outrora
São agora apenas memórias

Tudo parece em câmara lenta
Nas visões que me assolam
Nos aromas que se sentem
Nas horas que vão passando

Como relógios parados
De esperanças que não voltam
Em tempos já gastos…onde
Sobram apenas alegrias que demoram!

Sem comentários:

Enviar um comentário

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...