sábado, 14 de maio de 2011

Na noite

Quando cai a noite…
É quando me envolvo
No teu abraço…
É quando caio de cansaço
De tanto… esperar,
E desesperando vou,
Passando os dias,
Já de mim tão gastos
De esperar sempre!...
Querendo o teu abraço
Mas como eu amo,
Este querer… esperar por ti,
É de todos o meu maior crer,
Esperar de cansaço até quando…
As noites já vão longas…
E os meus braços ainda,
Esperando os teus,
No vazio dos meus braços,
Querem desistir mas,
Eu não permito quando,
Eles dão sinais de desanimo,
Sinais de cansaço…
Oiço lá longe uns passos,
Parecem os teus passos,
Abraçando os meus braços
Sem puderem alcançar…
O abraço, dos meus braços.

Sem comentários:

Enviar um comentário

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...