sábado, 14 de maio de 2011

Gotas de água

Lá fora a chuva cai
Faz-se lama
Nos quintais
Ouvem-se ais
De lamentos
Ais de ansiedade
De vazio
De saudades
Do passado
Que no presente
Lhes fugiu…
As aves aquietaram-se
Saboreando o néctar
Dos céus…
As plantas dançam
Ao sabor da chuva
Reforçando a sua cor
Agradecendo ao universo
Tanto amor…
As mentes se aquietam
Chamando-lhes
Sonolência!
Que magia pura.
O meu coração
Exaltou-se de alegria
Corro para a chuva
E encharco-me de poesia
Quero sentir a natureza
A terra que me deu
Esta forma de viver
De estar e querer,
Voltar à terra
Um dia …
Inunda-la de novo
Com chuva de poesia

Sem comentários:

Enviar um comentário