sábado, 14 de maio de 2011

Enlaçados

Os meus dedos
Enlaçados aos teus
Os teus braços
Apertando em ti
Dois corpos …
Uma alma …
Gemendo de deleite…
De dor!
Noites serenas
E belas…
Auroras beijadas
De paixão
Na entrega de tudo …
Em troca,
De um nada.
Tudo se confundia …!
O murmúrio,
Do mar…
O brilho…
Das estrelas …
O som,
Do teu olha…
Matreiro …
De tormentos…
De amargura …
De demência…
Dois corpos
Enlaçados,
Duas almas
Perdidas…
Num palco
De amor encenado,
No eterno cenário
De duas vida!

Mel Almeida

Sem comentários:

Enviar um comentário

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...