quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Meu deserto


Eras, ontem, deserto em mim…
Árido, impenetrável, ausente…
Fria aragem que no meu corpo corria
Miragem desfocada, pura agonia…
Não ousava imaginar, outra forma, outro lugar,
Que não fosse …apenas o momento...
Aquele, que em mim te invento!
Desbravando ideais incompletos …
Sede, incontrolável de afectos…
Oh…Minha  inspiração…meu canto lírico em versos…
Em ti, me  escrevo… me apago…me rasgo …
Me morro e renasço…em cada pausa que faço!

Sem comentários:

Enviar um comentário