domingo, 10 de julho de 2011

A noite também chora


É Noite

Cai a noite no meu colo,
Aninha-se ao meu peito,
Dou-lhe carinho e embalo,
E, de vez em quando me calo,
Para não a assustar mais.
Noite, que chegou tão nervosa,
Como uma criança ansiosa,
Perdida na escuridão …
Esta noite que veio chorando,
Tem saudades dos amantes…
Que com ela iam brincando,
E, lhe faziam pedidos irreais,
Cantavam-lhe serenatas…
Namorando, com a noite sem dar conta,
Que era apenas mais uma noite,
Uma noite… e nada mais!
Contavam-lhe segredos sem pudor,
Segredos que lhe causavam medo,
Aqueles lindos e soberbos sonhadores.
E a noite ia vivendo daqueles sonhos,
Daqueles, que julgavam ver cumpridos,
Seus sonhos na noite,
De sonhos prometidos…
Hoje, sente-se perdida a noite!
A noite, que não tem mais crentes…
Por entre ruas cheias de tudo…e gente,
Está sozinha a noite escura,
A pobre noite coitada…
Diz-me: ”não tenho mais amantes
Que me consolem nas noites como antes”!
E a noite chora...chora tão sozinha.
Depois de tanto embalo e soluço,
Adormeço a noite e calo…até quando?...
Chorando baixinho com a noite,
A noite me vai chorando....até quando?..

Sem comentários:

Enviar um comentário

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...