sábado, 16 de julho de 2011

Amo-te


Amo-te!

Amo-te em pensamento …
Em sentimento…
Em tempo…
Sem tempo…
Amo-te!… 
Como quem tem fome …
E sacia senão …
A urgência de amar…
O …abismo…
Num paradoxo…
Sem igual…
Sei que te amo!…
Porque nele me deito …
E levanto… sentindo…
O mesmo apertado sentir…
De quem ama sem pedir,
Nada por condição…
Amo-te... em silencio…
Gritando cá dentro…
O que não chegaste a ouvir…
Amo-te! Agora podes saber!…
Ao leres… que te amo!…
Sem jamais te dizer!

3 comentários:

  1. Olá Mel
    Muito obrigada pelo comentário que fez ao meu “poema” “Pensar…em ti” no Blog do Francisco “Dias Vadios”.
    Como tinha intenção de lhe agradecer verifiquei que também tem um Blog. Depois do que li, o que posso dizer? Parabéns, muitos parabéns pela excelência dos seus poemas. Só posso concluir que há de facto excelentes Poetas que este meio tem permitido dar a conhecer.
    Quanto à pergunta "para quando um livro?" confesso que é gratificante e que me surpreendeu porque não penso nisso, não sou poeta ou poetisa.
    Os meus "poemas" são somente o reflexo de um desafio, de um momento particular da minha vida, aqueles momentos que podem despertar em nós "talentos" que nem imaginávamos serem possíveis. Só isso.

    Escolhi este seu poema para deixar o meu agradecimento por ter também um com o mesmo título, espero que goste.

    Amo-te
    Desde menina
    Desde o tempo dos malmequeres
    Flor de outrora, traiçoeira,
    De Afrodite mensageira
    Malmequer, bem-me-quer…
    Amo-te
    Desde o tempo dos dias puros
    dos príncipes e das princesas
    Sem castelos nem fortalezas
    Amo-te
    Desde o tempo da irreverência
    Dos cavalos de alvas crinas
    Em bailados de inocência
    Amo-te
    Desde o tempo da alegria
    Da festa , da fantasia
    Amo-te
    Desde o tempo da ousadia
    Do bem-querer que mais queria
    Amo-te desde este tempo
    Que me condena, que me mata
    Que me extravaza de sentimento
    Provavelmente amo-te
    Desde o tempo em que nasci
    porque
    Amei-te…
    até
    no tempo em que te esqueci

    Um bem haja para si.

    Maria J.B.

    ResponderEliminar
  2. Maria J.B não sei quem é ...mas contudo deixo aqui um muito obrigada pelo seu poema que está muito bonito!
    Mel

    ResponderEliminar
  3. Lindo o poema que aqui me ofereces. Lindo deveras!...Obrigada
    Maria J.B
    Mesmo sem saber quem és sinto-te especial! Obrigada
    Mel

    ResponderEliminar

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...