domingo, 3 de julho de 2011

Beijo Prometido


Os beijos que me deste…
Guardo-os num canto sagrado
Onde só eu como mestre…
Possa, senti-los molhados…

Foram beijos lidos…
Em poemas e escritos tidos…
Como palavras sábias … serão…
Na nossa encadernação!

Jamais serão ouvidos por bocas
Que os julguem palavras loucas
Os beijos que me deste…outrora
Sabem-me a mel…ainda agora!

Deles guardo o que apetece…
O arrepio neles envolvido…
Como Verão que não aquece…
Naquele… beijo…prometido…

Como pode alguém beijar…
A boca de quem não tocou…
Como pode alguém julgar…
O beijo… com que sonhou?

4 comentários:

  1. ola Mel
    Claro que gosto dos teus poemas!!!
    Muita sensibilidade...

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Calie.
    um abraço
    Mel

    ResponderEliminar
  3. Poesia sentida....quem escreve assim é porque sentiu assim...meus parabéns por saber transmitir em poesia a sensibilidade da alma e do corpo

    ResponderEliminar
  4. Obrigada João pelo seu comentário amigo e sincero!

    ResponderEliminar