terça-feira, 21 de junho de 2011

Sou Romã


Poema dedicado ao Sarau no Páteo das Romãs

Em cada mão que me toca
Em cada gesto impensado
Sou a romã, que apertam,
Em gestos provocantemente
Provocados...
Tocam-me com suavidade...
Tocam-me, com gosto,
De degustar
Tenho coroa, sou Rainha...
Despem-me…
Leve, e suavemente...
Com o requinte que merece
Uma alteza Real...
Com desejo sensual.
Lambe os beiços...
No prazer de provar,
O gosto de uma romã
Firme, Macia, Vermelha,
Sou sangue que pinta os lábios,
Apertados... 
Gosto, que tanto se assemelha
Ao prazer de um trono
Por ti violado...
Sou Romã… sou vermelha,
Tenho coroa…
Sou rainha... e, vizinha...
De tantas... frutas a provar,
Sou Romã… a intentar...
Ser apenas algo desigual,
Na ponta da tua língua...
Na ponta dos teus dedos...
Na loucura dos teus segredos
Provocantemente, a provocar,
Sou... só afinal….
Sempre, e em cada manhã...
Apenas, simples...
bela Romã
Pronta a descascar!

Sem comentários:

Enviar um comentário