quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Chuveu no meu rosto


Caem gotas de chuva no meu rosto…
Disfarçam… ainda a tempo…

De pensares que é apenas chuva,
As gotas que estás vendo…

São minhas, estas gotas…”de chuva”
Nasceram, num dia de clareza…

Dia…em que a verdade…
Se lembrou… que estava presa…

Tal como eu, me esqueci de viver!…

Como pode acontecer?
Esquecer-me de mim?! …

Já não sou Eu!

O espelho por engano,
 Mostrou-me com lucidez…
A outra mulher que nasceu!

Sem comentários:

Enviar um comentário

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...