sexta-feira, 24 de abril de 2015

Este é meu fado


Não quero fados
nem fardos no meu destino
porque o fado é triste
e o destino é um menino.

Quero rir de alegria
até a barriga doer
quero alguém que me diga: a vida é pra viver!
Mas eu sinto-a triste
e triste me minto
por não poder dar-lhe um pouco
do tanto... Que a sinto.
é fado?
é fardo?
é destino?
é viola indigente?
Mas eu não quero fados
nem fardos que eu sustente.
E no meu barco a oscilar
Vou treinando o meu" fado"
Sem viola pra me acompanhar
Mas, com o coração apaixonado
E
ao soltar esta felicidade sem ameias
vou canta-la doravante p´ras sereias
e vestir esta saudade gigante
com um sorriso rasgado e constante.
É fado?
É indiferente!
É fardo?
Pois que seja perpendicular ao destino traçado
no destino da gente.
É fado...é fardo...é força...é sede...!

Sem comentários:

Enviar um comentário