quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Esperança


Esperança…
Num olhar de uma criança
Num sorriso de um idoso
Num anoitecer duvidoso,
Em auroras de bonança.

Esperança…
Na ponta dos dedos, na palma da mão,
Na entrega de amor e compaixão
E no toque, transmitir gratidão…
Converter lágrimas, em sorrisos de satisfação.

Esperança…
Na doença desagradável,
Na esperança que transmuta
A dor, de um Ser que luta…
Numa esperança imutável

Esperança…
Em comungar a um Deus
Misericordioso…
Aquele, que nos devolva em oração
A esperança, de um Mundo Novo.


Esperança…
Na maré inconstante, exagerada
Que ao mar leva crentes…
Numa esperança, confirmada

Esperança…
Num abraço de despedida
Na aventura projectada…
Esperança, de voltar a ser sentida,
O sentido da chegada.

Esperança…
Estrada de sorrisos e cantos…
Por momentos, também és prantos,
Daqueles que percorrem vidas…
Sem amor, sem luz e nela ficam vencidas.

Esperança…
Que alimentas a fome, a desconfiança, a fatuidade,
E se tardas em ser mudança…
Oh esperança…
Serás chamada de ”Acaso” ou “Fatalidade”

Esperança…
Imortalizada esperança
Consoladora de ideias,
És eterna pertença, Imortal…
De todos os Mortais!


Sem comentários:

Enviar um comentário

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...