terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Em águas


Boca de ninfa, de tempos, sonhados
Boca de adamastor que no passado
Roubaste sentimentos, meditados...
Em bravura de águas e verdes prados

Boca de águas tão…impetuosas
Onde pintores desbotaram rosas
Poetas escreveram…docemente
Palavras levadas por ti na corrente


                                                          Em ti caminho ainda na procura,
                                                              Do que julguei ter um dia pintado…
                                                         Por ti encontro agora a ventura


                                                         Em poemas por mim lavrados,
                                                              Que coro em aguarelas e pinceladas...
                                                             Breves instantes e quentes madrugadas

1 comentário:

  1. Sempre encantado com a tua poesia.
    Saio daqui com a alma lavada e cheia de boas vibrações...
    Beijos, querida amiga Mel.

    ResponderEliminar