domingo, 25 de dezembro de 2011

Tua a Noite.


É
madrugada…
lá fora,            cá dentro…

um silêncio ondulante
de lembranças em caldo…frio…
de renúncia, em pecados gritantes…

de
euforia…consumismo…
estulto, cepticismo, contenda…

quem Te convidou a entra, e sentar à mesa pelo, pão ázimo?
o pão da fé, da esperança, da luz!

chegaste! 
as Tuas chagas sangraram de novo, pelo mundo com que te deparaste!

imundo…

irracionalmente…irrazoável…

impenetrável!…

[onde tudo, é tanto…e tomado, por tão pouco]

Jesus, onde ficas agora?
 porque choras?

anda vem!...

ainda há quem macere descalço o chão!

e ajunte a palavra amor...sem dor… sem tumulto…

Vem!

És a Salvação...!

não quero vestir-me de [LUTO]

1 comentário:

  1. "Não quero vestir-me de luto".Convite para a ligação do meu primeiro livro de poesia, editado como previsão da futura edição impressa. Um Novo Ano pleno de Saúde e Alegria! http://pt.scribd.com/doc/75264095/FALEMOS - José Marinho

    ResponderEliminar

E Por Vezes

E por vezes por vezes… Sou tão escassa que temo não me bastar E por vezes... por vezes mergulho no meu azul infinito e sing...