segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Pudesse eu


Pudesse…eu
Ser pomba,
 E poisar no teu espaço

Pudesse…eu
Ser sombra,
E acalmar o teu cansaço

Pudesse…eu
Ser teus lábios,
P´ra na palavra existir

Pudesse…eu
Ouvir a tua voz,
E de alegria poder sorrir

Pudesse…eu
Ser água,
E no teu corpo me banhar

Pudesse…eu
Ser sede,
P´ra me saboreares...

Pudesse…eu
Ser manhã,
E envolver-te no sol nascente

Pudesse…eu
Ser atalho, poente,
 Ermida de fé presente

Pudesse…eu
Ser fogo, na noite acesa
Cinza, lama, mas certeza!…

Pudesse…eu
Escrever, nas ondas do mar
 Em escritos lavados, sais purificados...

Pudesse…eu
Só poder sonhar...
Pudesse…Eu
Adivinhar!

1 comentário:

  1. Mas tu podes... não bastará quereres?
    Excelente, gostei do teu poema.
    Beijo.

    ResponderEliminar

Um Sonho