sábado, 5 de novembro de 2011

O voo do poeta


Alma de ave
Emigrante…
Soltas-te livre
E sem medo…
Entre mares
E penedos…
E Continentes
Distantes…
Abarcas teus voos
Em águas paradas
Mortas…Estagnadas
Marés vivas…
E revoltas.
Poisas…O teu vozear…
Em silêncios
Gritantes…
Sem desesperar o voo…
Por contratempos
Ou penares…Hesitantes
Oh…Ave
Leva-me contigo…
Ensina-me…
O teu voar…
Deixarei conduzir-me
Nas asas do meu sonho…
E sonhando…
Irei até onde…
O teu voo…E o meu sonho, 
Se encontrarem!

Sem comentários:

Enviar um comentário