segunda-feira, 8 de junho de 2015

Meu sonho intacto

* * *
Sonho-te intacto
nas minhas mãos inertes
e num segundo eterno
de pedra e terra quentes
faço-te meu somente
em poemas que enlouquecem
adormecidos
E tu não sabes, nem sentes
O quanto me és querido.



* * *

Sem comentários:

Enviar um comentário