terça-feira, 5 de maio de 2015

Palavras no abismo de mim.

***
Suspendo
do abismo
rompeu das cinzas
um clarão
***
Um corpo
que morre
sem palavras na boca
uma alma
que sobe
em plena ressurreição
***
Suspensa
e quieta
a voz do poeta
ficará para sempre
suspensa
nas tuas mãos
***
Num caminho que arde
do nada
Numa qualquer oração
***
Suspenso o poema
dentro de mim
Apenas suspenso
sem principio
sem fim.
***.

Sem comentários:

Enviar um comentário